Conteúdo:
#Compartilhe

BLOG DA MOBILIZE NO BRASIL

eBook – 9 erros para evitar nas Redes

As redes sociais tem se destacado como uma ferramenta fundamental para qualquer estratégia de marketing. Além da novidade, uma dica infalível para aprender como faz melhor, sem errar muito, é a de observar o que os outros fazem de errado, para você saber o que evitar durante o seu mandato.

Abaixo alguns dos Erros mais comuns (de empresas) para você evitar:

. Falta de Planejamento – Apenas vontade e boa intenção não é suficiente.
. Falar apenas sobre você – Evite a auto promoção pela simples promoção vazia.
. Pare de ser irrelevante – Tenha certeza que seu post é sempre útil ou interessante.
. Apenas copiar conteúdos – Escreva suas ideias, opine e depois compartilhe links.
. Não ter uma estratégia – Sem pensar você não fará do público seu apoiador.
. Automatizar tudo – Evite robotizar todos seus comentários copiando respostas.
. Não conversar com o público – Volte a responder comentários, incentivar a conversa, agradecer elogios e escutar o eleitor. Sempre.

Para ver a lista completa de dicas, basta acessar o link do eBook dos 9 Erros
e compartilhar =)


Quem deixou de ganhar na Eleição?

Para entender o porquê a presidente Dilma não perdeu (por muito pouco) a eleição, veja a análise do antropólogo, Renato Pereira, responsável pela pré-campanha do senador Aécio Neves até dezembro de 2013. Para ele a derrota do tucano se resume a um simples erro de estratégia:

Segundo a entrevista Renato Pereira:

    A diferença, mínima, mas importante para conquistar a reeleição foi que a campanha de Dilma soube chegar mais perto (mesmo que ainda distante) do país em que estamos vivendo. Ao passo que o PSDB demonstra ter ainda uma visão muito patrimonialista da política. Isso se traduz em conteúdos, discurso e foco inadequados a uma eleição tão apertada como essa.

    Por exemplo, na última semana da eleição os principais comerciais do PSDB tem Neymar e Romário. Já nas peças publicitárias do PT foram utilizados os compromissos para chegar mais perto do público.

    O candidato do PSDB não soube ou não quis abandonar sua zona de conforto. Ao contrário do PT que desde o fim dos anos 90, consegue se adaptar a um país em transformação e conquista novos e importantes nichos eleitorais com uma política de aproximação com o eleitorado. O PSDB continua muito fiel e preso a um discurso tradicional.

    E olhe que antes o eleitor do PT era um voto ideológico, mas isso mudou. O PSDB por sua vez é percebido como um partido de elite distanciado da população. Em parte por obra do PT, mas também pelos gestos de seus principais líderes.

    E sobre 2018? Se Aécio quiser disputar novamente, vai precisar mudar sua imagem e sua fala para se aproximar mais do eleitor. Pois seja quem for o candidato, precisa estreitar o alcance da mensagem, sair do teatro da política e ter uma agenda real com a vida do eleitor.

Em resumo, os partidos falam em propostas, o eleitor escuta querendo resolver os seus problemas. Assuntos diferentes, respostas ainda mais distantes. Para ajudar, aqui vai o exemplo do App do Deputado, que respeitando as escalas, nada mais é que uma forma simples e direta de mostrar suas propostas, ouvir o desejo do público e propor, com o apoio das pessoas, projetos que realmente interessam ao eleitor.

Quer ver como funciona? Basta baixar o App da Luciana Santos e do Paulo Pimenta.
Se preferir acesse também o site AppdoDeputado.com.br.


6 regras para viralizar nas Redes

O termo “viral” está relacionado a velocidade de propagação da informação. Ser viral, significa chamar a atenção ao ponto de fazer com que as pessoas falem e multipliquem uma para as outras. Para ajudar a sua equipe nessa difícil tarefa, aqui vão 6 elementos comum em vários virais que ganharam a rede:

1 – Não seja neutro – Virais precisam ter uma carga emocional. Tentar agradar a todos só vai deixar seu conteúdo artificial ou pouco relevante. Ex: O comediante Rafinha Bastos optou pelo insulto e, hoje, é amado e odiado por milhares de pessoas. Um de seus vídeos teve mais de 1,4 milhões de views.
2 – Faça algo imprevisível – Siga o exemplo da série “Will it Blend”, da marca de liquidificadores Blendtec. O vídeo em que o CEO da Blendtec, Tom Dickson, destrói um novíssimo iPhone 4S teve mais de 1 milhão de views em menos de 15 dias.
3 – Não tente vender algo – Seja interessante e mas natural. O público não quer ver um produto ou comprar um sermão. Queremos apenas ter assunto para comentar.
4 – Faça mais de um conteúdo – Você precisa ser mais do que um viralzinho de 5 minutos. Por exemplo, a Coca-Cola, produziu vários vídeos da série Happines por todo o mundo. Ao assistir um, vários outros são sugeridos pelo Youtube.
5 – Ajude o compartilhar – Não dificulte. Seu conteúdo precisa ser amigável ao Facebook, Twitter, WhatsApp ou Blogs, com fácil acesso e pronto para compartilhar.
6 – Participe da conversa – Fazer parte do diálogo é tão necessário quanto o compartilhar. Ex: a campanha da Old Sprice nos EUA, onde diversos vídeos foram criados a partir da conversa e comentários com o público nas Redes Sociais.

Então, pronto para criar seu conteúdo e viralizar?
Fonte: ResultsOn


eBook com Dicas e Cases para sua Campanha

Nessa altura do campeonato você ainda tem dúvidas sobre como fazer marketing político? Ou ainda acha que com o seu Facebook logo vem um novo Obama?

Para ajudar seu trabalho, aqui vai o eBook da Scup que ensina um passo-a-passo do que você deve fazer na sua campanha nas redes sociais: Cases para sua campanha

Como destaques no eBook, você vai ver:

. Como definir objetivos e planejar sua campanha on-line;
. Quais são as melhores métricas para avaliar resultados.
. Como montar uma equipe ideal e perfis para cada função;
. E o que aprender com o case Barack Obama em 2008.
. E o case da Marina Silva, nas eleições de 2010.

E para quem gostar, também pode compartilhar. =)


Ebook: 100 coisas que você precisa saber

Pensando nas principais dificuldades dos candidatos quando o assunto é internet e as urnas, selecionamos o Ebook do Marcelo Vitorino, com 100 super dicas para você usar melhor o potencial da internet e mobilizar a sua campanha.

Para o autor, a Internet não vai fazer você ser eleito, mas pode ser o motivo para não ser. Por isso a atenção ao ambiente digital, o que as pessoas pensam, compartilham e quais ferramentas que podemos usar para fazer muito mais.

O que você vair encontrar nesse Ebook:

. Como usar melhor a Internet e aproveitar todo o seu potencial
. Como montar um bom time para mobilizar a sua campanha.
. Qual a importância de celulares e Tablets nessas eleições.
. Como fazer mobilização e relacionamento com influenciadores.
. Como organizar dados de militantes para fazerem a diferença.

Para baixar, basta acessar: Ebook 100 Coisas que todo candidato deve saber sobre Internet. Para conhecer o autor e a empresa, acesse o presencaonline.com.

Para se gostar do conteúdo, vamos compartilhar. =)


Ebook Engage to Win

Quer um ebook super detalhado, passo a passo explicando como são as campanhas nos EUA? Aqui vai o Engage to Win, eBook selecionado por nossa equipe nos EUA para mostrar de forma prática como são as campanhas amaricanas. Criado a partir da experiência de alguns dos melhores especialistas, marketeiros e gurus americanos, é um ótimo primeiro passo para entender como fazer uma campanha eleitoral nos EUA.

No eBook você encontra:

# Como organizar e inovar na estrutura da campanha
# Como usar o tempo de forma estruturada e criativa
# Como criar, organizar e evoluir seus programas de voluntários
# Como registrar novos eleitores, apoiadores e voluntários
# Como unir novas mídias e dados dos seus eleitores
# Criar narrativas e estratégias para motivar pessoas
# Planejar como os dados serão analisados e utilizados
# Melhores formas de arrecadar, gerencias e utilizar seu budget
# Como definir a sua presença no digital.

Como exemplo: info

Aproveite a leitura e para quem gostar, pode compartilhar:
CAMPAIGNING – TO ENGAGE AND WIN


Quem vai ser nosso Obama em 2014?

Você lembra do Obama em 2008? Dos 74 milhões de votos? Dos $794 milhões recebidos em doações? E que a média foi de 90 dólares por pessoa? Agora um segredinho que ele não contou… Você sabe quantos apoiadores cadastrados o Obama tinha em sua campanha de 2008? Tic tac tic tac…

A resposta: 230 mil. Isso mesmo, apenas 230 mil voluntários espalhados em todo o país (230 em 300 milhões de habitantes). Eram apenas 230 mil, mas organizados em cidades, em micro estruturas focadas em trazer mais apoiadores. Treinados, motivados e incentivadas para criar, divulgar e multiplicar os conteúdos e ações da campanha.

Pronto, agora você sabe. E sabe também que cada multiplicador gerou 250 votos, utilizando principalmente as redes sociais. Mas nada de esquecer o contato pessoal, grupos de trabalho, visitas, ligações, eventos, reuniões e claro, redes sociais. Esse foi o segredinho do Obama que ele não contou.

E agora? E no Brasil? Quem vai organizar a casa? Geolocalizar os apoiadores? Mobilizar toda a rede e fazer, cada um, ser um multiplicador da campanha?

Seja com 500, 2 mil ou 10 mil apoiadores, a resposta vem em outubro.
Yes we can. Yes we can. Yes we can. 250 vezes.