Eu
Quero
Mobilizar

BLOG DA MOBILIZE NO BRASIL

eBook – 9 erros para evitar nas Redes

As redes sociais tem se destacado como uma ferramenta fundamental para qualquer estratégia de marketing. Além da novidade, uma dica infalível para aprender como faz melhor, sem errar muito, é a de observar o que os outros fazem de errado, para você saber o que evitar durante o seu mandato.

Abaixo alguns dos Erros mais comuns (de empresas) para você evitar:

. Falta de Planejamento – Apenas vontade e boa intenção não é suficiente.
. Falar apenas sobre você – Evite a auto promoção pela simples promoção vazia.
. Pare de ser irrelevante – Tenha certeza que seu post é sempre útil ou interessante.
. Apenas copiar conteúdos – Escreva suas ideias, opine e depois compartilhe links.
. Não ter uma estratégia – Sem pensar você não fará do público seu apoiador.
. Automatizar tudo – Evite robotizar todos seus comentários copiando respostas.
. Não conversar com o público – Volte a responder comentários, incentivar a conversa, agradecer elogios e escutar o eleitor. Sempre.

Para ver a lista completa de dicas, basta acessar o link do eBook dos 9 Erros
e compartilhar =)


Você conhece Eduardo Rihan Cypel?

Eduardo é brasileiro, gaúcho que aos 10 anos de idade foi morar na França. Um imigrante, que mesmo com a forte restrição do país, se elegeu conselheiro regional de Ilê de France, o departamento de Paris.

O mesmo Cypel que em 2010, quando Nicolas Sarkozy quis endurecer com os imigrantes, criou um grupo de políticos naturalizados chamado “franceses sem distinção”. O mesmo, que candidato do partido socialista em 2012, venceu com 52,7% a deputada Chantal Brunel, que há 10 anos ocupava a vaga.

Quer saber como? Lembrando que o Partido Socialista Francês era relegado ao descaso, quando o jovem Eduardo iniciou sua participação, se unindo a outros jovens idealizadores. Os mesmos que fizeram da conhecida estratégia política de porta-a-porta, sua versão 2.0.

Como funciona o porta a porta 2.0:

01. Ter um cadastro detalhado dos eleitores com histórico político.
02. Conhecer a fundo o perfil, endereço, características e horários.
03. Organizar uma robusta equipe para visita dirigida e segmentadas.
04. Visitar os eleitores cadastrados que deixaram de votar no partido.
05. Visitar antigos eleitores que deixaram de votar nas eleições.
06. Outra rotina de visitas a aqueles não votantes declarados.
07. E na ausência, ter conteúdo direcionado para deixar no local.

Hoje Cypel é um dos mais influentes políticos na França, convidado por Harlem Désir, atual secretário-geral de Hollande, para ser um dos porta-vozes do PS na França.

Para saber mais, acesse o site oficial do Eduardo Rhian Cypel.


Vamos melhorar nossa cidade?

Como a população da sua cidade ajuda e participa para melhorar a vida de todos? Como mostra as suas dificuldades? Apontas sugestões para o seu bairro e região?

O ideal de todo o representante público é melhorar sua região, com o apoio e cooperação de todos. Poder visitar um lugar sabendo o que os moradores pensam e quais os problemas que enfrentam. Isso em gestão pública, faz toda a diferença.

Para ajudar, o App do prefeito traz uma exclusiva ferramenta de participação, referências de outras cidades no mundo, onde cada pessoa pode ser um possível voluntário, para fazer a cidade a cada dia melhor. Quer saber como?

01. Basta o prefeito da sua cidade ter o App do Prefeito.
02. Treinar a equipe que irá receber e encaminhar as demandas.
03. Lançar o App do Prefeito dizendo que deseja escutar a população.
04. Semanalmente divulgar as sugestões e/ou problemas resolvidos.
05. Consolidar as soluções nos principais meios de comunicação.

Agora imagine ter em suas mãos uma lista dos principais desafios da cidade, enviada por quem mais interessa, a sua população. isso tudo agora mesmo, no seu celular, ao alcance das suas mãos.

Para saber mais acesse: AppdoPrefeito.com.br


12 novembro, 2014




Iguais e tão diferentes

As eleições tanto na França como nos EUA são voluntárias, em ambos os países o voto não é obrigatório e nenhum cidadão é obrigado a votar. Em ambas temos 2 partidos predominantes, que historicamente se apresentam como essencialmente de centro-direita e de centro-esquerda, disputando o poder.

Ainda em um processo semelhante, em ambos, para ter o direito ao voto é preciso ter nacionalidade, idade mínima de 18 anos sendo que na França, precisa estar inscrito nas listas eleitorais. Inclusive essa diferença é reduzida a cada ano, uma vez que os novos cidadãos são automaticamente registrados ao atingir a idade mínima.

E para que quer se candidatar?

Para os políticos as semelhanças são muitas, que quiserem se candidatar para a eleição presidencial francesa devem ter no mínimo 18 anos (até 2011, a idade mínima era de 23 anos) e precisam recolher 500 assinaturas de prefeitos eleitos. Nos Eua, precisam passar pelas primárias do partido, para a disputa.

Em ambos, durante a campanha, os candidatos são livres para criar acessos à comunicação virtual. Entretanto, na véspera das eleições todos os sites montados por eles são fechados.

E qual a maior diferença?

O principal ponto está no fato de que nos Estados Unidos, a eleição ocorre em 50 unidades separadas, em datas distintas, numa base de quem ganha leva a representatividade de todo o colégio eleitoral. Este sistema, que evita segundo turno, torna extremamente importante conhecer os eleitores, os distritos e direcionar esforços da campanha para influenciar os indecisos. Na França, as eleições são como no Brasil onde a maioria simples (50% +1) vence a eleição.

Resumindo, enquanto nos EUA o esforço é o GOTV (Getting Out the Vote), na França a campanha é a da importância do voto útil (seu voto importa).

Para saber mais consulte o Sistema Eleitoral no EUA
Ou acesse o link sobre o processo democrático na França.


Como você agradeceu meu voto?

Não importa para quem tenha sido o meu voto ou o resultado da eleição, o fato é que ela termina. Para alguns, vitória, outros derrota. Seja como for, todos temos o mesmo tema de casa: agradecer os votos.

Dentre as inúmeras formas de agradecer o voto, o apoio das equipes e o empenho de todos, lembre que o seu muito obrigado pode ser também um importante passo para o futuro. Quer saber como?

Primeiro avalie se você:

. Gravou um vídeo de 1 minuto para usar no Youtube?
. Compartilhou imagens dos principais momentos para o WhatsApp?
. Publicou uma imagem para o Facebook com foco em compartilhar?
. Agradeceu via SMS regionalizado o apoio recebido em cada cidade?
. Criou ainda um email marketing personalidado com link para o site?
. E também usou jornais, rádios e correspondência pelo correio?

E o mais importante, lembrou de indicar uma ação para ser realizada pelo seu eleitor? Poderia ser baixar o App do mandato, um link para completar o cadastro ou um convite para fazer parte no facebook. Você agradeceu e mostrou como as pessoas que podem fazer parte do seu mandato?

Se faltou algo, ainda há tempo… Enquanto os outros vão estar pensando no que escrever, você pode ser mais ágil e se preocupar em como tornar o seu agradecimento em mais apoio, mais cadastros e mais eleitores.


Quem deixou de ganhar na Eleição?

Para entender o porquê a presidente Dilma não perdeu (por muito pouco) a eleição, veja a análise do antropólogo, Renato Pereira, responsável pela pré-campanha do senador Aécio Neves até dezembro de 2013. Para ele a derrota do tucano se resume a um simples erro de estratégia:

Segundo a entrevista Renato Pereira:

    A diferença, mínima, mas importante para conquistar a reeleição foi que a campanha de Dilma soube chegar mais perto (mesmo que ainda distante) do país em que estamos vivendo. Ao passo que o PSDB demonstra ter ainda uma visão muito patrimonialista da política. Isso se traduz em conteúdos, discurso e foco inadequados a uma eleição tão apertada como essa.

    Por exemplo, na última semana da eleição os principais comerciais do PSDB tem Neymar e Romário. Já nas peças publicitárias do PT foram utilizados os compromissos para chegar mais perto do público.

    O candidato do PSDB não soube ou não quis abandonar sua zona de conforto. Ao contrário do PT que desde o fim dos anos 90, consegue se adaptar a um país em transformação e conquista novos e importantes nichos eleitorais com uma política de aproximação com o eleitorado. O PSDB continua muito fiel e preso a um discurso tradicional.

    E olhe que antes o eleitor do PT era um voto ideológico, mas isso mudou. O PSDB por sua vez é percebido como um partido de elite distanciado da população. Em parte por obra do PT, mas também pelos gestos de seus principais líderes.

    E sobre 2018? Se Aécio quiser disputar novamente, vai precisar mudar sua imagem e sua fala para se aproximar mais do eleitor. Pois seja quem for o candidato, precisa estreitar o alcance da mensagem, sair do teatro da política e ter uma agenda real com a vida do eleitor.

Em resumo, os partidos falam em propostas, o eleitor escuta querendo resolver os seus problemas. Assuntos diferentes, respostas ainda mais distantes. Para ajudar, aqui vai o exemplo do App do Deputado, que respeitando as escalas, nada mais é que uma forma simples e direta de mostrar suas propostas, ouvir o desejo do público e propor, com o apoio das pessoas, projetos que realmente interessam ao eleitor.

Quer ver como funciona? Basta baixar o App da Luciana Santos e do Paulo Pimenta.
Se preferir acesse também o site AppdoDeputado.com.br.


App do Prefeito – A cidade na mão do Eleitor

Acreditamos que para ser um líder é preciso ter propostas e pessoas apoiando novas ideias. Para ajudar os líderes das mais diferentes cidades do Brasil, lançamos no país o App do Prefeito, uma ferramenta para levar o seu trabalho para a mão de toda a população.

Criado na plataforma Mobilize, o App oferece um canal direto para acompanhar e participar do desenvolvimento da cidade. Com um exclusivo sistema de denuncie seu problema, o App utiliza da colaboração coletiva para minimizar as dificuldades e solucionar, de forma rápida e pontual, os mais diversos desafios das cidades.

O que faz o AppdoPrefeito?

01. Resume o trabalho, desafios e ações do prefeito na cidade.
02. Divulga os principais projetos, propostas e desafios do município.
03. Escuta as demandas, recebe as ideias e sugestões direto da população.
04. Simplifica o cadastro e organização de voluntários para a cidade.
05. Utiliza a colaboração coletiva para melhorar a vida da população.

Aproveite agora o período de lançamento e seja um dos primeiros a ter o App do Prefeito para ajudar a população da sua cidade.
Para mais acesse AppdoPrefeito.com.br


Vamos cadastrar?

Uma prática muito importante utilizada antes, durante e após as eleições é a coleta constante de dados dos eleitores e apoiadores. Não basta apenas o contato, email e quem sabe um SMS, a diferença está em saber como transformar cada pessoa em um defensor da sua causa.

Para ajudar na tarefa de iniciar uma política de sempre cadastrar, conversar e engajar o seu público, aqui vão 8 dicas da nossa equipe para você iniciar agora mesmo.

01. Site – Inicie fazendo do seu site um canal para informar, incentivar e cadastrar apoiadores para fazer parte do seu trabalho. Simples e essencial.
02. Email – Use suas listas de emails, de entidades ou partido, tanto para informar d que acontece como convidar mais pessoas para se cadastrar.
03. Nas Redes – Monitore os posts, mensagens e comentários para saber quando entrar em contato e convidar as pessoas a fazer parte do seu mandato.
04. No App – Utilize os celulares dos seus apoiadores para multiplicar seu nome e buscar a cada dia mais e mais pessoas para participar.
05. Eventos – Saiba usar seus eventos para cadastros. Tenha sempre uma equipe para informação e cadastro, seja no site, App do Mandato ou envie no WhatsApp.
06. No Partido – Lembre de consultar até a lista de filiados do seu Partido no estado para contato e cadastro de mais apoiadores.
07. Pelo Correio – Pense em como enviar kits para seus voluntários e apoiadores atualizarem os seus cadastros e ainda convidar novos amigos.
08. Divulgue na mídia – Enquanto outros agradecem os votos, você pode utilizar a mídia para divulgar propostas e chamar apoiadores.

Simples assim. A cada dia mais dados, mais informações e mais pessoas, para juntos mobilizar o Brasil.


Sua equipe sabe mobilizar?

Faltam 2 semanas para as eleições 2014 e cada dia é um dia a menos para a urna. Nessa reta final a participação de todos, o engajamento da equipe e a mobilização dos apoiadores vão fazer a diferença.

Para ajudar, selecionamos 10 passos básicos para você passar para a equipe fazer, em contagem regressiva, para juntos, mobilizar muito mais.

Mobilize em 10 passos:

01. Acorde e se atualize nas Redes da agenda da campanha.
02. Personalize seu perfil e opine nos conteúdos do Facebook.
03. Tire uma foto ou vídeo de apoio a campanha e compartilha.
04. Acesse o App do Candidato indique para 3 amigos do bairro.
05. No fim do dia, pergunta pelo WhatsApp: Eu voto em… e você?

Se você também é voluntário, adicicone a lista:

06. Mostrar visualmente no carro, roupa e material seu voto e apoio.
07. Na rua coragem de pesquisar: Em quem você vota? (perguntar apenas)
08. Para os a favor, pergunte se tem o App e se quer ajudar a multiplicar.
09. Para os indecisos, abrir o voto e o fato que leva ao apoio.
10. Para os contras, concordar sem perder tempo em disputar.

Agora é com você. Seja em quem for votar a hora é de #vempraRua e #VamosTodosMobilizar.


6 regras para viralizar nas Redes

O termo “viral” está relacionado a velocidade de propagação da informação. Ser viral, significa chamar a atenção ao ponto de fazer com que as pessoas falem e multipliquem uma para as outras. Para ajudar a sua equipe nessa difícil tarefa, aqui vão 6 elementos comum em vários virais que ganharam a rede:

1 – Não seja neutro – Virais precisam ter uma carga emocional. Tentar agradar a todos só vai deixar seu conteúdo artificial ou pouco relevante. Ex: O comediante Rafinha Bastos optou pelo insulto e, hoje, é amado e odiado por milhares de pessoas. Um de seus vídeos teve mais de 1,4 milhões de views.
2 – Faça algo imprevisível – Siga o exemplo da série “Will it Blend”, da marca de liquidificadores Blendtec. O vídeo em que o CEO da Blendtec, Tom Dickson, destrói um novíssimo iPhone 4S teve mais de 1 milhão de views em menos de 15 dias.
3 – Não tente vender algo – Seja interessante e mas natural. O público não quer ver um produto ou comprar um sermão. Queremos apenas ter assunto para comentar.
4 – Faça mais de um conteúdo – Você precisa ser mais do que um viralzinho de 5 minutos. Por exemplo, a Coca-Cola, produziu vários vídeos da série Happines por todo o mundo. Ao assistir um, vários outros são sugeridos pelo Youtube.
5 – Ajude o compartilhar – Não dificulte. Seu conteúdo precisa ser amigável ao Facebook, Twitter, WhatsApp ou Blogs, com fácil acesso e pronto para compartilhar.
6 – Participe da conversa – Fazer parte do diálogo é tão necessário quanto o compartilhar. Ex: a campanha da Old Sprice nos EUA, onde diversos vídeos foram criados a partir da conversa e comentários com o público nas Redes Sociais.

Então, pronto para criar seu conteúdo e viralizar?
Fonte: ResultsOn